Presidente do Avante abre novo processo para destituir direção em Campos
Aldir Sales 02/06/2020 18:19 - Atualizado em 02/06/2020 18:19
Vinícius Cordeiro e Selena Bastos
Vinícius Cordeiro e Selena Bastos / Facebook
O presidente estadual do Avante, Vinícius Cordeiro, minimizou a decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) que determinou o retorno de Selena Moreira Bastos – ligada ao deputado e pré-candidato a prefeito Wladimir Garotinho (PSD) – e afirmou que o partido abriu novo procedimento contra a dirigente campista. O advogado reconheceu que houve erro no processo anterior que destituiu Selena e colocou no cargo o empresário Abinho Neme – com proximidade ao grupo do prefeito Rafael Diniz (Cidadania).
Desde o início das conversas pré-eleitorais, ainda em 2019, o Avante era dado como certo na base de apoio a Wladimir. Porém, já neste ano, a executiva estadual promoveu a mudança nos rumos do diretório local. Nomes do governo, como o vereador e ex-secretário de Saúde, Abdu Neme, e do ex-secretário de Gestão Pública, André Oliveira, chegaram à legenda com objetivo de concorrer à próxima eleição.
No entanto, segundo Vinícius, entre os motivos para a destituição foi que a direção local não teria dado espaço aos pré-candidatos ligados ao governo. “Em primeiro lugar, vamos acatar a decisão da Justiça Realmente houve um equívoco nosso e abrimos um novo procedimento que é mais demorado. Uma coisa que ‘pegou’ foi que ela não queria dar a legenda a um grupo de pré-candidatos que entraram. Sobre a questão do prefeito, o estatuto do partido diz que, mesmo as decisões de convenção, mas a palavra final sobre coligações em cidades com mais de 200 mil habitantes sempre será da executiva estadual. Vejo como desnecessária essa insistência na briga jurídica, mas faz parte. Além disso, todos os pré-candidatos ligados a Wladimir saíram do partido já”, disse Vinícius.
A equipe de reportagem entrou em contato com Selena, mas não conseguiu um posicionamento até a publicação desta matéria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS